Jump to content


Photo

Bala Perdida, Série Da Supernova Produções

snp supernova supernova produções bala perdida tarantino guy ritchie

  • Please log in to reply
No replies to this topic

#1 emiliobaracal

emiliobaracal

    Novato

  • Membros
  • Pip
  • 8 posts

Posted 23 March 2014 - 10:48 PM

Olá pessoal, tudo bem? 

 

Sei que é grande, mas vale a pena a leitura. Encarem como aquelas entrevistas da Veja ou da Playboy, que são bem longas, normalmente. 

 

(piadas sobre quem lê as entrevistas na Playboy em 3, 2, 1...)

 

Inicio aqui uma série de posts sobre a SNP (para encurtar), que não posto numa postagem só para não ficar grande demais e, portanto, cansativo demais. Já fiz uma postagem sobre a SNP em geral, que é esta aqui: http://centraldequad...nova-producoes/ e uma para cada projeto da SNP. Agora falo de Bala Perdida. 

 

 

:: E do que se trata Bala Perdida?

Ela é o que mais destoa de todo o resto. É uma série que foi criada para não ser atrelada a um tipo de filosofia ou seguimento editorial. Há elementos filosóficos que quero discutir nela, claro, mas será muito mais sutil no começo e irá ganhando corpo com o tempo, ficando mais densa para o final. E das séries, é a única que terá um final, como Preacher. Já tenho mais ou menos esquematizado esse final.

 

Samuel Torres é um perdido na vida. Em todos os sentidos. Nunca achou nenhum trabalho que fizesse bem a não ser arranjar e sair de confusões. Essa indefinição profissional – e vários vindos por ser de uma família bem caótica - afastou de sua vida a única coisa boa que aconteceu: Andreza. Isso fez com que ele desse um tiro na própria cabeça.

Porém, sem qualquer explicação, ele levantou-se. E descobriu que não podia morrer.

 

Corte, atire, taque fogo, pule de um prédio, faça (aparentemente) o que for: ele não pode morrer. E nem ele ao menos sabe o porque. E é a busca do motivo – e pela volta de Andreza – que ele fará de tudo para encontrar seu caminho.

Nem que seja o de um rastreador. Samuel, com alguns amigos em situação semelhante ou se possível, pior, fundou clandestinamente a Nemesis Inc, uma “empresa” de lavagem de roupa suja. Você precisa achar alguém e não consegue? Eles acham. Precisa entregar uma encomenda e seria diante do contexto, bem difícil? Eles entregam. Precisa escoltar alguém? Eles dão um jeito.

 

Então teremos um serviço a cada história, onde os personagens terão que lidar com o submundo do crime, pessoas de moral dúbia, problemas que não podem parar nos jornais e na maior parte do tempo, lidam com pessoas simpáticas, tais como traficantes de todos os tipos, a máfia, políticos (porque colocar "corruptos" aqui é pleonasmo, certo?), estelionatários e esse tipo de gente. E às vezes encontrar algum elemento sobrenatural no meio do caminho.

Eles farão serviços por todo o Brasil, então vai me permitir contar histórias nos mais diversos lugares, meio que com pitacos de road movies.

 

 

As histórias terão um humor negro inspirado em filmes do Guy Ritchie, com a ação dos longas do Tarantino, com influência leve do inexplicado de Arquivos X e tudo com muito rock n´roll.

 

:: Então o grande mistério gira em torno do fato de Samuel ser imortal? Já em a ideia em torno disso?

Sim e não para a primeira pergunta. Sim porque está ligado a algo muito maior. Não porque como acabei de dizer, há algo muito maior.

 

Sim para a segunda. Já tenho todo o esquema de porque e como ele ficou imortal e como essa imortalidade funciona. Um amigo me perguntou: “É ciência?” e respondi: “Não do modo como ciência é vista e entendida pelas pessoas”. Ele então tentou: “É magia?” e eu respondi: “Depende do ponto de vista. Eu não consideraria”. Ele tentou de novo: “É uma mistura de magia e ciência?” e eu fui taxativo: “Muito menos isso”. Ele fez mais outra tentativa: “Tem a ver com alienígenas?” e já de bate-pronto: “Menos ainda do que o anterior”. E daí ele foi tentando todas as possíveis fontes que ele conseguiu imaginar e quando esgotou todas, ele disse: “Caramba, ok, agora estou realmente curioso. Não me conte, quero ler e descobrir acompanhando”. E eu apenas ri. Foi legal tê-lo como cobaia, imaginando a reação que os leitores podem ter quando as pistas começarem a aparecer. Juntar o quebra-cabeça será bem bacana. 

 

:: Então não haverá seres de roupas colantes aqui?

Não, nem um pouco. São pessoas comuns – tirando Samuel – com situações extremas, inusitadas e imprevisíveis. Nem tudo no Universo SNP é relacionado a roupas colantes.

 

:: E quem são os amigos de Samuel?

Primeiro, tem o André Ramirez. É o grande motorista da equipe, levando-os para os diversos lugares onde um serviço precisa ser feito. Quase nunca se mete na ação, a não ser que envolva fugas e perseguições. Ele é o dono do assento do caminhão deles, o Black Dog (realmente não é coincidência com Led Zeppelin). Possui uma moto custom, carinhosamente chamada de Rock N´ Roll (Led de novo). É metido a comediante, soltando gracinhas o tempo todo. Costuma usar um chapéu de vaqueiro. Um verdadeiro porra-louca.

 

Tem o Marcos Petri, especialista em armas de fogo, principalmente pistolas automáticas. Tem um trabalho de fachada como barman em uma casa de diversões para grã-finos. Perto da alta sociedade, Marcos consegue às vezes serviços muito lucrativos para eles. Além disso, é o galã, de modo que é ele quem geralmente chama atenção das mulheres, coisa que ele tira proveito muito bem, já que é praticamente um ninfomaníaco.

 

Em seguida, tem o Raul Medina, que não é seu nome real. Seu companheiros sabem disso, mas não sabem qual é o nome verdadeiro dele. Por algum motivo, Raul não gosta de conversar sobre seu passado e seus amigos respeitam essa posição. Gigante (pouco mais de dois metros), corpo maçudo, estilo brucutu. Cabelos pretos, curtos, estilo Elvis ou James Dean. É fã desses dois, além de ser fã de Marlon Brando, vestindo-se como seus ídolos. Dirige uma Harley Davidson Fatboy. Calado, quieto, introspectivo.

 

Por último, o Diego Pontes, que é o responsável pela equipe se comunicar, cuidando de buscar informações, fazer contatos, entre outras pesquisas e buscas. Geralmente fica mexendo em um computador e cercado de aparatos de comunicação, como telefones, microfones, entre outros. Normalmente usa alguma camisa de futebol – Santos, Barcelona, Chelsea, Porto, etc – ou alguma camisa de bandas de rock como Oasis, Pearl Jam, Blur. É o mais novo.

São caras que fizeram muitas burradas e a sociedade também não deu muitas chances. Não tiveram escolha a não ser se unirem para conseguir um trocado qualquer que seja. Suas ideias, princípios e histórico fizeram com que optassem por esse caminho e não outro. Eles só tem uns aos outros e sabem disso.

 

Cada um deles tem problemas pessoais que interferem no relacionamento uns dos outros, gerando conflitos sociais já entre eles e que muitas vezes interferem no “trabalho”. O passado de cada um é sempre levantado e cada serviço aceito mexe pessoalmente com eles de alguma forma.

 

A cada história, um serviço a ser feito e a cada serviço, muitos problemas que irão testar seus ideais, convicções e passado. Os serviços podem ser os mais comuns ou os mais diferentes e insanos possíveis, onde for. Se é possível, se é viável, se dá lucro ou vale à pena por algum motivo, eles fazem.

 

:: Quem faz Bala Perdida?

Eu escrevo os roteiros. A arte toda - desenho, arte-final e cores é do Geanes Holanda. E nas letras, com Deyvison Manes. 

 

Se quer ver mais sobre os trabalhos da SNP, eis nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/supernovahq

 

No momento estamos com uma vaquinha que pode ser vista aqui:

http://centraldequad...con-experience/

 







Also tagged with one or more of these keywords: snp, supernova, supernova produções, bala perdida, tarantino, guy ritchie